segunda-feira, 22 de maio de 2017

Mulher é presa tentando entregar celular ao marido dentro de presídio escondido em ventilador

Uma mulher de 32 anos foi presa depois de ser flagrante tentando entrar com um celular na Penitenciária Regional Padrão, na cidade de Cajazeiras, no Sertão paraibano. O aparelho e ainda um fone de ouvido e um cabo USB estavam escondidos dentro de um ventilador. Os objetos seriam entregues ao esposo dela, que está preso.
De acordo com o diretor do presídio, Tales Alves de Almeida, o flagrante ocorreu durante a tarde, no horário de visita. A suspeita estava com um ventilador, que seria entregue ao presidiário. Durante o procedimento de revista, o celular, o fone e o cabo foram encontrados escondidos dentro da base que sustenta o ventilador.
“Na penitenciária é permitido que o preso tenha um ventilador. A esposa aproveitou para levar um ventilador para ele, mas com o celular, fone e o cabo escondidos dentro. Ela foi levada para a delegacia e autuada em flagrante pela Polícia Civil”, explicou o Tales de Almeida.
Ainda de acordo com o diretor da penitenciária, por causa o crime, a mulher vai perder o direito de poder visitar o marido por um período de 6 meses.
G1

Cida Ramos confirma candidatura a deputada estadual em 2018 pelo Partido Socialista

A secretária do Desenvolvimento Humano do Governo do Estado, Cida Ramos, afirmou que irá disputar uma vaga na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) pelo PSB em 2018. Cida, que foi candidata a prefeita de João Pessoa nas últimas eleições, disse que vem sendo cobrada por eleitores para que dispute uma cadeira na legislativo estadual.
“Meu nome está sendo colocado para deputada estadual, eu tenho sido muito cobrada pelas pessoas que votaram em mim. Mesmo não tenho ganho, é uma carta de confiança. As pessoas têm me chamado e prestado apoio em todos os municípios que tenho passado, até porque nosso trabalho se estende”, declarou.
A socialista revelou que já está fazendo um trabalho visando o próximo pleito, mas que atividade desempenhada à frente das políticas públicas é seu principal cartão de visita.
“Nós estamos discutindo com várias lideranças de vários municípios da grande João Pessoa. Eu sou de Sapé, tenho uma raiz muito forte lá, sou reconhecida na cidade pelo trabalho que realizei, mas, sobretudo, pela minha trajetória. Morei em Mari, tenho um grande reconhecido da cidade de Cabedelo, Santa Rita, então nós temos um trabalho importante sendo realizado e eu acredito que as pessoas me reconhecem”, explicou.

No Congresso, 1 em cada 3 eleitos teve dinheiro da JBS


O dinheiro da JBS, principal conglomerado brasileiro do setor de carnes, ajudou a eleger um em cada três dos integrantes da Câmara e do Senado. O grupo foi o principal financiador privado de candidatos na eleição de 2014.
 
Entre os documentos que os delatores da JBS entregaram à Procuradoria-Geral da República (PGR) está uma lista de deputados eleitos em 2014 e beneficiados por doações do grupo empresarial. Nela, há 166 nomes – 32% do universo de 513 deputados eleitos.
 
No pacote de documentos também há uma relação dos atuais senadores, com um “ok” marcado ao lado do nome de cada parlamentar que recebeu recursos da JBS. A lista inclui 28 senadores, ou 35% do total de 81 parlamentares da Casa.
 
O grupo dos irmãos Joesley e Wesley Batista fazia lobby no Executivo, no Congresso e também em governos estaduais para obter vantagens e ganhar mercado. Em ao menos um caso, houve compra de votos na Câmara para aprovar legislação que dava à companhia benefícios tributários, segundo confissão dos delatores.

Ex-senador Delcídio do Amaral será testemunha de acusação contra Lula

O ex-senador Delcídio do Amaral deve ser ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro na tarde desta segunda-feira (22). O político, que foi eleito pelo Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul, será testemunha de acusação em um processo da Operação Lava Jato, em que o Ministério Público Federal diz que a Odebrecht pagou propina ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Além de Delcídio, Moro também deve ouvir os depoimentos do ex-presidente da Construtora Camargo Corrêa, Dalton Avancini, e do ex-executivo da construtora Toyo Setal, Augusto Mendonça Neto.
Nesta ação penal, Lula é réu por ter, supostamente, recebido vantagens indevidas da Odebrecht, por meio da compra de um terreno, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e também de um apartamento no mesmo andar do prédio em que ele mora, na mesma cidade. O terreno seria usado para construir uma nova sede para o instituto social que leva o nome do ex-presidente, e o apartamento é usado até hoje por Lula, como casa para os policiais federais que fazem a segurança dele.
A defesa de Lula nega as acusações, dizendo que o terreno jamais foi entregue ao Instituto Lula e que o apartamento em que ficam os seguranças é alugado.
Além de Lula, também são réus neste processo o ex-ministro Antônio Palocci; o ex-assessor dele, Branislav Kontic; o ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht; e outras quatro pessoas.
Este processo tem audiências marcadas, pelo menos, até o dia 22 de junho. Após essa data, Moro ainda precisará ouvir os acusados. Não há prazo para que seja determinada uma sentença.
Nada a ver com triplex
Este processo a que Lula responde na 13ª Vara Federal de Curitiba corre em paralelo a outro, em que Lula é acusado de receber propina da OAS, por meio de um apartamento triplex no Guarujá e do pagamento da guarda de bens do ex-presidente em uma transportadora. Essa ação penal já passou pela fase de depoimentos. Agora, Moro aguarda que o MPF e as defesas entreguem as alegações finais, para que ele possa definir a sentença, em que poderá condenar ou absolver os réus.
G1

Em jantar com Aguinaldo, Temer demonstra confiança

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), participou nesse domingo (20) de um jantar com o presidente Michel Temer (PMDB).
Aguinaldo afirmou que Temer pediu que o Poder Legislativo continue trabalhando na sua “normalidade”. Segundo ele, o presidente novamente se mostrou indignado com as denúncias e manifestou confiança de que vai “superar o momento”.
“A grande resposta que podemos dar é com as medidas que são positivas para o país. Todos os partidos da base estiveram reafirmando apoio a Temer. Quando não estava o líder, estava o presidente ou um ministro representando o partido”, afirmou, acrescentando que os presentes externalizaram seu “compromisso com o país”.
MaisPB com Agência Brasil

Idoso é preso por porte ilegal de armas e por ameaçar esposa de morte

Um idoso de 84 anos foi preso na noite deste sábado no sítio da Chã da Barra de Aroeiras por violência doméstica contra sua esposa e porte ilegal de armas. A prisão foi feita por policiais militares da 3ª companhia Independente.
A vítima ligou para a Polícia Militar para denunciar que há dias o suspeito ameaçava matá-la. A equipe policial se dirigiu até a casa do suspeito, e chegando ao local, a vítima bem como duas testemunhas confirmaram a denúncia.
A mulher informou aos policiais que o esposo dizia todos os dias que iria matá-la e que possuía armas de fogo. Após averiguação no local, a PM localizou quatro armas de fogo, sendo um revólver calibre 32, uma garrucha e duas espingardas artesanais, além de chumbo, pólvora e espoletas.
O suspeito de 84 anos e o material apreendido foram conduzidos para a Delegacia da cidade de Queimadas. O homem foi autuado pelos crimes de violência doméstica e posse ilegal de armas de fogo.

Defesa de Aécio vai recorrer ao STF contra afastamento do Senado

O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) vai tentar reverter no Supremo Tribunal Federal (STF) a decisão do ministro Luiz Edson Fachin, que, na quinta-feira (18), suspendeu suas atividades legislativas após virem à tona as delações do empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS.

A defesa do parlamentar vai ingressar nesta segunda-feira (22) com um pedido de agravo regimental contra o afastamento. De acordo com o advogado Alberto Toron, "não há respaldo na Constituição Federal" para que um senador seja afastado "dessa maneira".
"Em se tratando de mandado parlamentar, unicamente a Casa Legislativa pode afastá-lo, pela via da cassação. Existe um modus procedente [de se afastar um senador]. Entre as previsões na Constituição, não se encontra [o afastamento pela Justiça]", afirmou o advogado à Agência Brasil.
De acordo com o defensor, o caso de Aécio se diferencia do ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), cassado em 2016 após ser afastado pelo Supremo. "O senador Aécio não foi preso em flagrante", explicou Toron.
Em depoimento de delação premiada homologado pelo STF, Joesley Batista disse que pagou este ano R$ 2 milhões em propina a Aécio Neves, a fim de que ele atuasse em favor da aprovação da Lei de Abuso de Autoridade e anistia ao caixa 2 em campanhas eleitorais.
O dinheiro teria sido entregue a um primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, que foi preso nessa quinta-feira (18). A entrega foi registrada em vídeo pela PF, que rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que o montante foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).
Segundo Toron, apesar do recurso, o parlamentar não tem problema nenhum em entregar seu passaporte, conforme determinado por Fachin. Ao decidir pelo afastamento, o ministro do STF não aceitou o pedido da Procuradoria-Geral da República de prisão preventiva contra Aécio Neves.
A defesa de Aécio confirma que o senador afastado pediu R$ 2 milhões a Joesley. Entretanto, segundo o advogado José Eduardo Alckmin, que também entrará com o pedido no STF nesta segunda, foi um pedido de empréstimo para custear a defesa de Aécio, que já era  investigado pela Operação Lava Jato. Após as acusações, o tucano comunicou o seu afastamento da presidência do PSDB.
Apresentada na última quinta-feira (18) por parlamentares da Rede e do PSOL, uma representação por quebra de decoro contra Aécio Neves aguarda a formação do Conselho de Ética do Senado para que seja analisada.Atenciosamente,

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Estudante é baleado durante tentativa de assalto; vítima estava na calçada da escola

um aluno do Colégio Luzia Simões foi baleado na noite desta quinta-feira (18) na calçada da unidade de ensino, que fica no Jardim Planalto, em João Pessoa.
Testemunhas disseram que o crime foi praticado por um casal que tentou assaltar o estudante e um colega dele. Ele teria tentado fugir e acabou sendo perseguido e atingido por um disparo na boca. O outro aluno não ficou ferido.
A vítima tem 16 anos e foi atendida no local por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Depois dos primeiros socorros, o rapaz foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

SUSPEITOS DE USAR ARMA DE BRINQUEDO EM ASSALTOS SÃO PRESOS EM JOÃO PESSOA

Dois jovens de 18 anos suspeitos de praticar assaltos no Centro e em bairros de João Pessoa foram presos, na noite dessa quinta-feira (18), com armas de brinquedo. Eles usavam os materiais para intimidar vítimas durante as abordagens criminosas.
Conforme informações do comandante da 3ª Companhia do 1º Batalhão, capitão Isaias Paz de Souza, um deles foi preso próximo ao Mercado Central.
“O motopatrulhamento da 3ª Companhia fez a abordagem e encontrou com o suspeito um simulacro de escopeta calibre 12. A partir daí, fomos em apoio e juntamente com a Força Tática localizamos o segundo suspeito, no bairro de Jaguaribe. Eles revelaram que tinham roubado uma moto e vendido a um terceiro suspeito. Encontramos peças dessa moto na comunidade Paulo Afonso, no mesmo bairro, mas o chassi não foi localizado porque eles esconderam em uma mata”, contou.
O oficial disse que na casa do segundo suspeito, nos Bancários, foi apreendido o simulacro de uma pistola. “As duas armas de brinquedo usadas nas ações criminosas foram apreendidas. Com eles agora detidos, esperamos que as vítimas possam comparecer à delegacia para reconhecê-los, pois vínhamos recebendo denúncias de assaltos praticados por suspeitos com as características dos dois em nossa área e a resposta para os casos foi prontamente apresentada”, disse.
Os jovens suspeitos foram encaminhados para a Central de Polícia Civil, no Geisel.

Formação de comissão de impeachment de prefeita provoca confusão em Câmara

Uma sessão na Câmara Municipal da cidade de Desterro, que fica próxima à cidade de Patos no Sertão do Estado, terminou em confusão na tarde desta segunda-feira (21). Os vereadores estavam reunidos para formar a comissão de impeachment da prefeita Rosângela Leite (PSB), baseado em crimes de responsabilidade e desobediência judicial. O pedido foi feito pelo juiz da Comarca de Teixeira, Ramonilson Alves Gomes, e aceito pela maioria dos vereadores.
Já no início da sessão há relatos de que aliados da prefeita, inconformados com a situação, começaram uma confusão na casa legislativa e promoveram uma quebradeira no local. Mesas e cadeiras foram derrubadas e quebradas, papéis foram jogados por toda parte e até uma placa de vidro foi danificada. A polícia foi acionada e chegou a comparecer ao local, mas ninguém foi preso.

Vereadores barram aumento no tempo de carência da Zona Azul

Os vereadores de João Pessoa barraram na manhã desta terça-feira (22) o aumento do tempo de carência do estacionamento rotativo Zona Azul. O projeto do vereador João Almeida pretendia aumentar de dez para vinte minutos o tempo em que os motoristas poderiam utilizar o estacionamento rotativo sem pagar.
A Comissão de Constituição, Justiça, Redação e Legislação Participativa da Câmara Municipal havia dado o parecer contrário ao projeto por considerá-lo inconstitucional. O projeto foi levado a plenário através de um recurso do próprio autor.
Para utilizar o estacionamento Zona Azul, o motorista paga a quantia de R$ 1,50 por duas horas de utilização do serviço.
O estacionamento Zona Azul é adotado em João Pessoa para que seja gerada uma rotatividade nas vagas de estacionamento em vias e logradouros públicos, principalmente em áreas comerciais. O estacionamento é explorado por uma empresa concessionária, que conta com aproximadamente 75 funcionários.

José Maranhão e Wilson Filho são escolhidos coordenadores da bancada paraibana

A bancada paraibana no Congresso Nacional finalmente definiu a sua coordenação nesta quinta-feira (18). Os parlamentares decidiram dividir a coordenação entre o senador José Maranhão (PMDB) e o deputado federal Wilson Filho (PTB).
Ficou definido que a bancada paraibana terá um representante máximo na Câmara Federal e outro no Senado.
A reunião que definiu a coordenação aconteceu após ter sido remarcada anteriormente devido à instabilidade que acomete Brasília nesta semana. Apesar da demora em definir a coordenação, os nomes já estavam praticamente garantidos há algum tempo.
Ocupando o cargo, os coordenadores devem comandar os encaminhamentos dentro das comissões parlamentares.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Três veículos se envolvem em acidente na BR-230 em João Pessoa




Três veículos se envolveram em um acidente no trecho da BR-230 no viaduto da avenida Epitácio Pessoa, nas proximidade do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente deixou dois feridos na manhã desta quinta-feira (18).
O inspetor da PRF, L. Araújo, comentou que é preciso que os motoristas que usam a rodovia no perímetro urbano de João Pessoa precisam tomar cuidado com o fluxo do trânsito, que constantemente é interrompido.
De acordo com uma das vítimas em relato à PRF, o acidente aconteceu justamente pela interrupção repentina do trânsito. “Ela comentou que parou porque o trânsito havia parado e os motoristas que seguiam atrás não tiveram tempo de parar”, comentou.

Temer cancela agenda com Maranhão, Manoel Junior e Wilson Filho


O presidente Michel Temer decidiu cancelar todos os compromissos que constavam na agenda oficial nesta quinta-feira (18). Depois, ele recebeu ministros do núcleo político em seu gabinete no Palácio do Planalto.
Na agenda do presidente, constava reuniões com os paraibanos: José Maranhão (PMDB), Manoel Junior (PMDB) e Wilson Filho.
A decisão de cancelar os compromissos foi tomada um dia após o colunista do jornal "O Globo" Lauro Jardim informar que os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Ao chegar ao Palácio do Planalto, por volta das 8h05, o presidente tinha 18 encontros previstos na agenda. Os encontros estavam marcados para ocorrer a cada meia hora, sem intervalos nem para almoço.
Temer chegou a receber o senador Sérgio Petecão (PSD-AC). A reunião era o primeiro dos 18 compromissos e já estava prevista na quarta, antes de as primeiras informações envolvendo Temer terem sido divulgadas.
Logo após a reunião com o parlamentar, porém, os outros 17 compromissos que constavam na agenda foram cancelados.
Entre os compromissos, estavam encontros com deputados federais, estaduais, senadores, presidentes de partidos. No site do Planalto, a agenda foi substituída para “despachos internos”.
Da Redação (com Globo)

Prefeitura quer dar bolsa de até R$ 1 mil para famílias de crianças carentes em CG

Um Projeto de Lei (PL) da Prefeitura de Municipal Campina Grande (PMCG) quer dar até R$ 1 mil por mês para 86 famílias de crianças e adolescentes, de até 14 anos, que estejam em situação de vulnerabilidade social nas ruas da cidade.

No PL, chamado de ‘Projeto Sinal de Cidadania’, que deverá ser enviado à Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) até o fim da próxima semana, a PMCG estabelece que as famílias vão receber R$ 500 por criança, com ‘teto’ máximo de R$ 1 mil por família, o equivalente a dois filhos em situação de vulnerabilidade.

A justificativa para a ação é de retirar as crianças e adolescentes das ruas e evitar que elas sejam exploradas para mendicância nos semáforos. Em contrapartida, as famílias deverão cumprir uma série de normas para não perderem o benefício.

“O objetivo é retirar as crianças da situação de vulnerabilidade das ruas, mediante uma contrapartida do Município para com as famílias e, também, das famílias para com o bem-estar das crianças. Para concessão dessa bolsa, a família se compromete a retirar a criança da situação de vulnerabilidade e transformar a atividade que a própria família impõem, que é se prostrar no sinal de trânsito para pedir algum recurso mediante contrapartida de limpeza de vidro, para que essa atividade se transforme na escola”, contou o procurador geral do Município, José Mariz.

Ainda segundo o procurador, o projeto já foi discutido e recebe apoio do Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB), com seleção das famílias já realizada pela Secretaria de Assistência Social de Campina Grande.

“Nosso sistema jurídico impede que se retire crianças das ruas a força, e por isso foi fomentada a ideia, em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e com coordenadores da Secretaria de Assistência Social, de bonificar a família, já catalogadas pela equipe, para que ela [família], mediante critérios fixos estabelecidos, incentive a criança a ir a escola. Se identificarmos fraudes iremos tomar as medidas judiciais cabíveis contra as famílias”, concluiu o procurador.